04/05/2011

Quatro passos em direção a uma gestão eficiente

Paulo Vicente - Professor da Fundação Dom Cabral

Informatizar rotinas administrativas é uma prática adotada há algum tempo na iniciativa privada. Com o intuito de desburocratizar sua gestão, estados e municípios, cada vez mais, seguem o exemplo das empresas e adotam processos eletrônicos para operacionalizar desde folhas de pagamento até a gestão de recursos humanos.

É um passo importante na administração pública, porém governos e municípios ainda têm um longo caminho a seguir. Boa parte deles se encontra no segundo estágio da informatização de seus processos. Iniciaram a modernização dos sistemas pelo setor de pagamentos e, agora, implementam as mudanças no departamento pessoal.

Para que se tenha uma gestão eficiente, seja pública ou privada, é preciso atenção ao terceiro passo desse processo: a gestão de recursos humanos.

Mais do que uma atividade burocrática e de controle, trata-se de um diferencial estratégico, responsável pela atração, retenção e desenvolvimento dos colaboradores.

Dessa forma, um sistema de informação de recursos humanos efetivo torna-se uma base de conhecimento para tomada de decisões, bem como o gerenciamento do capital humano.

Ao se cumprirem esses três estágios, empresas e governos seguem no caminho certo para uma gestão profissional e competente. Mas, para obterem o sucesso ao final dessa jornada, não podem negligenciar um ativo de suma importância dentro de qualquer organização, o capital intelectual.

Considerada um diferencial competitivo, a gestão do conhecimento tem a vocação de facilitar o fluxo de informação, por meio de processos que acumulam os ativos intelectuais e os compartilham, gerando uma gama de competências exclusivas. É um passo além do simples gerenciamento de pessoas.

Um bom exemplo na iniciativa privada é o trabalho realizado pela Vale. Há algum tempo, foi detectado um problema na área operacional. Ao se aposentarem, maquinistas e operadores de guindastes não deixavam substitutos.

Foi criado, então, um programa de capacitação entre os funcionários, renovando as pessoas da casa, antes que a saída do profissional se tornasse iminente.

Com o desenvolvimento de aprendizes, o problema foi sanado sem perda de competitividade. O sucesso na gestão depende de uma série de fatores.

Mas esses quatro estágios abrangem ações fundamentais dentro de uma organização. Ao sistematizar esses processos, ganha-se em tempo, qualidade e eficiência.

----------------------------------------------------------

Paulo Vicente é professor da Fundação Dom Cabral

Fonte: Brasil Econômico - 4/5/2011

Voltar

Leia também

CAFÉ: Exportação dos Cafés do Brasil atinge 29,7 milhões de sacas no acumulado de nove meses

ECONOMIA: Selic deverá atingir 8,75% para controlar a inflação

PETRÓLEO E GÁS: Produção de petróleo e gás no pré-sal é recorde em setembro

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.