Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

27/07/2012

“O café vai unir o mundo”, afirma aluno japonês do Curso de Café da Associação Comercial de Santos

“O café vai unir o mundo”, afirma aluno japonês do Curso de Café da Associação Comercial de Santos

O aluno japonês Mitsunori Shibutani, do 51.º Curso de Classificação e Degustação de Café da Associação Comercial de Santos (ACS), acredita que o café unirá os povos da Terra. "No mundo, existem diversas culturas, políticas e pensamentos. Para mim, o café vai unir o mundo".

Shibutani fez a afirmação na solenidade de formatura do Curso de Café da ACS, realizada no final da tarde e início da noite desta quinta-feira, 26 de julho de 2012, no Auditório da entidade, na Rua XV de Novembro, 137 - 1.º andar, no Centro Histórico.

Em nome dos alunos japoneses, Shibutani falou de improviso. Ele agradeceu aos professores e colaboradores da Associação Comercial de Santos e afirmou sobre a importância do café. "Pude aprender profundamente sobre o café do Brasil".

O orador japonês disse que tudo o que aprendeu no curso deve ser espalhado a todos. "Na minha concepção, não concluí o curso, estou apenas começando o aprendizado".

Foram entregues certificados e carteirinhas de classificador a 11 japoneses e 6 brasileiros.

A cerimônia foi aberta pelo diretor Ronaldo Taboada, 1.º secretário da Associação Comercial de Santos, representando o presidente Michael Timm. A mesa contou ainda com vice-coordenador da Câmara Setorial de Exportadores de Café da ACS, Wilson Carvalho, e com os professores do curso, Davi Antonio Pinto Teixeira e Nilton Ribeiro.

Também fizeram parte da mesa o diretor Antonio Carlos Cavaco, 1.º diretor financeiro da Associação Comercial de Santos, bem como Paulo de Oliveira, do Conselho Fiscal da ACS, Nilton da Silva Pinto, ex-diretor financeiro da entidade e ex-coordenador do Curso de Café, e o presidente do Conselho de Câmaras Setoriais da ACS, Eduardo Carvalhaes Júnior.

Após o discurso do diretor Taboada, o vice-presidente da Câmara Setorial de Exportadores de Café agradeceu à diretoria da Associação Comercial de Santos, que viabilizou, mais uma vez, a realização do curso. Ele também prestou agradecimento aos professores Davi e Nilton, e a Onivaldo Ruas (Geléia) e ao Pedro Pascoal. "Esperamos que todos vocês tenham aprendido bastante com o curso. Foi um início. O dia a dia, com certeza, vai trazer muito mais experiência. Desejo a todos muito sucesso. E estamos prontos para o que precisarem de nós".

Depois, falaram os professores Davi Teixeira e Nilton Ribeiro, o orador japonês da turma, Mitsunori Shibutani, e o orador brasileiro, Fernando Alves Manes Almeida.

Em seguida, foram entregues o certificado e a carteirinha de classificador de café.

Após a solenidade, a Associação Comercial de Santos ofereceu um coquetel, na Sala de Classificação e Prova de Café, no 3.º andar.

O curso teve aulas teóricas e práticas. Entre as visitas técnicas, os alunos foram a uma fazenda de café em Santo Antonio do Jardim, no interior de São Paulo. As aulas tiveram início em 2 de julho, orientado pelos professores Nilton Ribeiro e Davi Antonio Pinto Teixeira, com tradução de Sayoko Nakai.

O CURSO

O Curso de Café da Associação Comercial de Santos tem o objetivo de formar profissionais capazes de identificar as características do produto, atender às exigências do mercado e criar oportunidades de negócios.

São cinco edições por ano – em março, maio, julho, setembro e novembro. A edição de julho conta tradicionalmente com a presença de japoneses.

As aulas têm supervisão do presidente da Associação Comercial de Santos e do coordenador da Câmara Setorial de Exportadores de Café.

Durante quatro semanas, os alunos se reúnem por duas horas diárias para aprender teoria e prática sobre a história do café, produção, armazenagem, aspectos econômicos nacionais e internacionais, legislação, tecnologia, fiscalização, identificação de grãos, prova da bebida e desenvolvimento de blends (mistura de grãos de espécies ou qualidades diferentes).

Ao final do curso, os alunos que tiverem frequência mínima de 80% e com bom desempenho nas aulas recebem certificado e carteira de classificador, além de uma colher de prova de café.

Mais informações podem ser obtidas na Associação Comercial de Santos, pelo telefone (13) 3212-8200, ramal 220, e-mail: acs@acs.org.br

ALUNOS DO 51.º CURSO DE CAFÉ

Cooperativa dos Cafeicultores Zona Três Pontas:
Hugo Felizali de Brito

Exportadora e Importadora Marubeni Colorado:
Atsushi Koyama
Noriyuki Murabe

Eurobrasil:
Diego da Silva Oliveira

Fazenda Santa Rosa:
Victor Luis Betin Lopes

Kasho/Sojitz:
Katsuyama Kimiyoshi
Kazuto Nagai
Shuusuke Koide

MC Coffee do Brasil:
Keitaro Nagahara
Masaki Takeda
Yoriuki Tokeji
Yusuke Takeuchi

Prefeitura de Santos:
César Natario Neto

UCC Ueshima Coffee do Brasil:
Makoto Shobutani
Mitsunori Shibutani

Outros participantes:
Fernando Alves Manes Almeida
Gilvan do Nascimento Silva

DISCURSO DO DIRETOR RONALDO TABOADA

Boa noite a todos.

Em nome da Diretoria Executiva, Conselho de Câmaras Setoriais e Conselho Fiscal, do corpo administrativo e dos associados, damos a todos as boas-vindas.

Tradicionalmente, a Associação Comercial de Santos recebe, no mês de julho, os estrangeiros, em especial os japoneses, que estão em busca dos conhecimentos oferecidos pelo Curso de Classificação e Degustação de Café da ACS.

Nesta 51.ª turma, contamos com 11 japoneses e 6 brasileiros.

As mudanças ocorridas no curso têm origem recente, iniciadas pelo ex-diretor Nilton da Silva Pinto e por este que vos fala. Além das aulas teóricas e práticas, os alunos passaram a compartilhar dos conhecimentos proporcionados por visitas técnicas a fazendas e a armazéns de café.

Essas transformações somente foram possíveis com professores de alta qualidade, devidamente complementados pelo apoio do classificador Onivaldo Ruas e do Pedro Pascoal, ambos da Associação Comercial de Santos.

Esperamos que o curso tenha atendido o anseio de todos.

Em nome da Diretoria Executiva da Associação Comercial de Santos, desejo a todos muito sucesso.

Muito obrigado.

DISCURSO DO PROFESSOR DAVI TEIXEIRA

Reconheço ter falado demais durante o curso.

Mas revelo que qualquer pessoa que gosta de café, quanto entra na Sala de Classificação e Prova da Associação Comercial de Santos, se apaixona por essa bebida.

Ela transforma as aulas em um ambiente saudável, de bom humor e amabilidade, criando novas amizades, causadas pelos efeitos misteriosos do cheirinho do café.

No curso, vocês conheceram o aroma e sabor tropical do café brasileiro e suas complexas variações orgânicas, cada uma com seu sabor único e característico, com intensa composição e doçura.

Não vou me alongar no discurso.

Quero que vocês usufruam o encanto e alegria desta festa, mas, interessante pergunta sobre café aconteceu hoje que não poderia deixar de falar...

Ao estacionar o carro pela manhã, o frentista, meio acanhado, me perguntou, no seu linguajar típico, quando começou a ser conhecido o café...

Brincar um pouco não faz mal e faz parte do nosso cotidiano e, sem mencionar a lenda de Kaldi, pastor de ovelhas, lhe falei sobre a figura mitológica da Eva, do Adão e da maçã...

Se a maçã é ácida, doce e calmante ao sono, e o café carrega calorias extras como o arrebatador encanto do amor, da vontade de namorar mais, sempre mais, como demonstrou Eva por Adão, declaradamente a fruta que Eva saboreou está mais para a cereja do café... do que da maçã.

Foi aí que começou a primeira referência ao café.

Não vou me estender muito, a festa é toda vossa e a caipirinha hoje, somente hoje, é de graça, por conta do Victor Luiz, da Fazenda Santa Rosa...

Que a nossa despedida seja o começo de forte amizade entre nós, tão forte como o café, que, nas adversidades que sempre enfrentou, reagiu de forma positiva, transformando o seu doce aroma nessa bebida saborosa que tanto apreciamos.

Que o manto protetor de Deus envolva vocês e toda a família.

Obrigado!

DISCURSO DO PROFESSOR NILTON RIBEIRO

Agradeço a presença das autoridades, padrinhos e convidados aqui presentes neste momento importante para estes alunos, que hoje estão concluindo este 51.º Curso de Café, e dizer que a mim, particularmente, e ao professor Davi, à nossa Karina, Manuella e demais integrantes da equipe da Associação Comercial de Santos, que os dias do curso foram marcados por momentos muito importantes.

O nosso muito obrigado a todos.

E agradeço também a esta bela turma, com a presença de 11 japoneses e 6 brasileiros, vocês foram muito especiais.

Na programação do curso, visitamos o armazém geral da Dínamo, onde fomos recebidos com a elegância de sempre, com um lanche maravilhoso, e assistimos ao funcionamento de um armazém, com os seus equipamentos de melhoramento do café. Ali também tivemos a oportunidade de acompanhar a estufagem de contêineres.

O nosso agradecimento ao sr. Alexandre e ao Alex, pela atenção dispensada pela Dínamo a todos que lá estiveram.

Visitamos em Pinhal a Fazenda Jaborandi, de propriedade do sr. Paulo Scanavachi, onde fomos bem recebidos, e onde os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as etapas em que o café é trabalhado até chegar à xícara, como colheita à mão, mecânica e de mão mecânica, secadores e beneficiamento. Foi-nos oferecido um delicioso lanche pela família do sr. Paulo.

Agradeço também ao palestrante Soren Knudsen, que mais uma vez deixou a turma toda bem informada sobre certificações, sustentabilidade e rastreamento de cafés.

Quero neste momento agradecer aos alunos pelo empenho demonstrado no aprender, pedindo desculpas por alguma falha ocorrida, e prometendo que iremos estudar a possibilidade de aumentar, futuramente, a carga horária do curso, como foi sugerido pela maioria.

Esperando tê-los sempre como amigos, coloco-me à disposição para o que precisarem.

E desejo que este curso possa ter ajudado a concretizar os seus sonhos e desejos, nos seus locais de trabalho.

Muito obrigado a todos.

DISCURSO DO ALUNO FERNANDO ALVES MANES ALMEIDA

Boa noite!

Caro sr. Ronaldo Jamar Taboada, diretor desta tradicional, augusta e respeitável instituição, diretor que preside esta bela solenidade de formatura, por meio de quem cumprimento todos os colaboradores desta nobre casa, e faço uma referência especial ao sr. Onivaldo Ruas, simpaticamente nominado por Geléia, que nos acompanhou durante todo o transcorrer dos nossos estudos, juntamente com o Pedro e a Karina.

Caros professores, sr. Nilton Ribeiro e sr. Davi Teixeira, nossos mestres, por meio destes, cumprimento todos os empresários e representantes de empresas e demais instituições do setor cafeeiro, que gentilmente abriram as suas portas para nos receber como estagiários e visitantes.

Cara sra. Sayoko Nakai, tradutora e professora de língua japonesa, por meio de quem cumprimento os nossos companheiros de curso que do Japão vieram exclusivamente para se juntarem a nós neste conceituado curso.

Caros companheiros brasileiros de curso, Cesar Natário, Diego Oliveira, Gilvan Silva, Hugo Brito e Victor Lopes, os quais tenho a honra de representar nesta oratória, cumprimento também os seus familiares, convidados, autoridades já anunciadas pelo protocolo, senhoras e senhores.

Inicio o meu pronunciamento com um poema que assim diz:

O moinho de café
O moinho de café,
Mói grãos e faz deles pó.
O pó que a minh'alma é,
Moeu quem me deixa só.

O grande poeta português Fernando Pessoa, como era do seu costume, sentado a uma das mesas do Café A Brasileira em Lisboa, o qual imortalizou, dando-lhe fama e prestígio com a sua constante presença no hábito diário de apreciar um bom café, escreveu este romântico e bucólico poema, cheio de saudade, tal qual a saudade que sentiremos deste maravilhoso curso, que nos proporcionou excelência em qualidade teórica e prática, bem como agradáveis e inesquecíveis momentos, que nos lançaram fortes e sólidas bases da profissão de classificador e degustador de cafés.

Ao nosso mestre, professor Nilton Ribeiro, expressamos os nossos agradecimentos, por nos trazer de forma profunda e brilhante os ensinamentos teóricos e práticos de quem, pela vasta sabedoria e longa experiência profissional, soube, com o dom do magistério, nos passar um pouco do seu saber, que para nós, se abriu como um universo de conhecimento admirável e inesgotável. Muito obrigado, professor Nilton!

Ao nosso mestre, professor Davi Teixeira, rendemos-lhe os nossos agradecimentos, por nos trazer de forma tão profunda, refinada e romântica, os ensinamentos históricos, teóricos e práticos da excelência na degustação profissional do café. O sr. nos ensinou mais, muito mais do que um simples ato, técnica ou forma de provar, nos ensinou um verdadeiro ritual de degustação, uma arte que só o tempo irá aprimorar em cada um de nós.

Muito obrigado, professor Davi, e estendemos os nossos agradecimentos à “vossa esposa, a sra. Café”, com quem muito respeitosamente passaremos a trabalhar a partir de hoje!

Os nossos mestres, Nilton e Davi, são dignos de veneração, como exemplares profissionais de sucesso, pela vasta sabedoria que possuem, pelas longas e brilhantes carreiras profissionais que ambos construíram ao decorrer de muitos anos de experiência e dedicação que lhes proporcionaram um universo sem limites de conhecimentos sobre o café, da semente à xícara, conhecimento que muito generosamente foi utilizado para nos ensinar, do início ao fim deste primoroso curso.

À Associação Comercial de Santos, expressamos os nossos mais profundos agradecimentos.

Para nós, é um imenso orgulho ter tido o privilégio de poder ingressar, cursar, e hoje, nesta bela solenidade, nos formarmos como profissionais classificadores e degustadores de cafés no seio desta histórica, tradicional, nobre e importante instituição, que, com o preparo de uma sólida e excelente formação proporcionada por esta casa, nos abre as portas para um amplo leque de oportunidades profissionais no mercado do café, seja na lavoura, na análise, na consultoria, na corretagem, no comércio interno ou externo, entre outros, onde cada um de nós escolheremos um caminho a seguir, porém com a satisfação e o orgulho em dizer que as nossas bases foram sedimentadas nas cadeiras do Curso de Classificação e Degustação de Café da Associação Comercial de Santos, o melhor e mais tradicional curso do Brasil, quiçá, do mundo!

Aos nossos companheiros japoneses de curso, que nos proporcionaram um verdadeiro intercâmbio cultural, expressamos a satisfação em lhes ter conhecido e compartilhado deste curso com vocês.

Temos a certeza de que vocês levarão para o Oriente, a Terra do Sol Nascente, o Japão, as boas-novas do conhecimento aqui adquirido, que lhes servirão para o aprimoramento e sucesso nas suas carreiras profissionais no mercado do café, porém, mais do que isso, além de saberem e agora com certeza, constatarem que o Brasil não é apenas Carnaval e futebol, e sim uma grande, forte, rica e próspera nação, que a todos acolhe com fraternidade, como acolheu há mais de 100 anos os primeiros imigrantes japoneses que aqui chegaram para trabalharem nas nossas lavouras de café e que aqui se estabeleceram, contribuindo para a bela e diversificada formação do povo brasileiro, levem também a certeza de que o Brasil é o maior produtor mundial de cafés, bem como é o melhor em qualidade mundial.

Levem com vocês a lembrança da bela flor do cafeeiro, que para nós, do café, tem um significado tão especial quanto a fina flor da cerejeira significa para o povo japonês.

Que Ceres, a Deusa da Agricultura, e Mercúrio, o Deus do Comércio, que guardam o portal do Palácio da Bolsa Oficial do Café, onde fica o Museu dos Cafés, nos iluminem e abençoem, abrindo-nos as portas para um futuro promissor, próspero e de sucesso profissional.

E que os quatro guardiões que representam a Navegação, a Agricultura, a Indústria e o Comércio e repousam serenamente no alto da torre do relógio do mesmo palácio, velem por nós como semideuses a nos guiar em um caminho justo e perfeito, próspero e consciente, sem nos esquecermos do nosso compromisso ético e de responsabilidade socioambiental.

A todos o nosso muito obrigado! 

Voltar

Leia também

Câmara de Tecnologia & Inovação: Novo nome

Nova coordenação do Núcleo Jovem toma posse e anuncia projetos para desenvolvimento da ACS

CAFÉ: Pressão no financeiro: Café acompanha dia de baixas e recua mais de 400 pontos em Nova York

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.