Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

04/03/2011

PIB do agronegócio brasileiro fica 6,5% maior em 2010

Daniel Popov

Resultado é quase o dobro da média de 3,67% dos ultimos dez anos e superior a média da indústria, de serviços, e da média nacional nesse período - São Paulo

Em 2010, o valor do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 6,5% ante 2009, fechando em R$ 180,8 bilhões. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse crescimento se deve ao aumento de produção de várias culturas importantes da lavoura brasileira, com destaque para a soja que cresceu 20,2%, o trigo com 20,1%, e o café com 17,6%.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), agropecuária foi a atividade que mais cresceu nos últimos dez anos. A média do PIB do setor, que representa a soma em valores monetários de todos os bens e serviços produzidos, no período de 2000 a 2010, aponta um crescimento anual de 3,67%, da agropecuária. Já o PIB do País, contabilizando todos os setores, nesse mesmo período avançou apenas 3,59%, na média. "Nesses dez anos a agricultura cresceu mais que a economia nacional, e que os outros setores. Nesse período o PIB da agropecuária cresceu a taxa de 3,67% ao ano, já a economia cresceu 3,59%, a indústria cresceu 3,11%, e serviços 3,59%", contou o coordenador de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques.

Gasques destacou alguns fatores para o bom desempenho do setor. O primeiro foi a mudança da política cambial brasileira, a partir de 1999, quando o câmbio passou a ser flutuante. "A mudança da política cambial em janeiro de 1999 foi essencial para o setor da agricultura. Se olharmos os dados da balança comercial brasileira até 1999, não notamos grandes mudanças, de um ano para o outro. Depois disso as exportações aumentaram bastante, até porque a taxa de câmbio passou a ser flutuante", disse.

Segundo ele os valores das exportações quase quadruplicaram nesses dez anos, passando de US$ 20,6 bilhões registrados no ano 2000, para US$ 76,4 bilhões do ano passado. O crédito rural também foi destaque na economia brasileira, somente no período de 2003 a 2010, mais de R$ 270 bilhões foram aplicados em crédito no País, tanto para a compra de maquinários mais modernos, quanto para investir em novas tecnologias de plantio. "Em relação a outros países, e outros setores, a agropecuária brasileira cresceu muito nos últimos anos, praticamente sem subsídios. Com a retomada do crédito de investimento, a partir de 2000 começaram os investimentos em maquinas e equipamentos com financiamentos do BNDES, permitindo a renovação de frota, e grandes investimentos na agricultura", enfatizou Gasques.

Por fim, Gasques também atribuiu o sucesso do setor a inserção brasileira no mercado internacional, com o forte comércio de produtos em que antes o País não tinha tradição, como as carnes, também foram responsáveis pelo desenvolvimento do setor na última década. Para o coordenador, a valorização das commodities em 2010 exerceu importante papel no desempenho do setor. "Principalmente quando nos referimos à análise do último semestre de 2010, período em que grande parte das atividades agrícolas já foi encerrada devido ao ciclo da safra brasileira, as exportações são destaque", ressaltou Gasques.

Segundo o coordenador de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, em 2011, o Valor Bruto da Produção (VBP), um dos índices que compõem o PIB do setor, pode alcançar, em valores, aproximadamente, R$ 184,2 bilhões, um crescimento de 4,5% em relação a 2010, quando o valor registrado foi de R$ 176,2 bilhões. (Sophia Gebrim)

2011

Para 2011 Gasques acredita que o PIB do agronegócio será ainda maior, dada a recuperação de preços de produtos como o milho, o algodão e a soja. "Tenho grande expectativa que 2011 seja um ano muito bom, pois noto uma recuperação de produtos como soja e milho, que não foram tão bem em 2010. Aposto inclusive que o crescimento será maior", finalizou ele.

O analista de commodities, Steve Cachia, da Cerealpar, também está otimista em relação ao crescimento do setor este ano. "Estou otimista com este ano, pois as negociações estão acontecendo de forma mais acelerada que outros anos, dado os preços ao produtor que estão bons. E o pessoal está aproveitando, e parte disso ajuda a aumentar o PIB", comentou Cachia.

Fonte: DCI - 4/3/2011
Voltar

Leia também

Paulo Corrêa Jr é o primeiro convidado do ciclo de encontros com os parlamentares eleitos pela região

Programa ACS na TV: Sérgio Fernandes Marques, Diretor Jurídico da Associação Comercial de Santos

CAFÉ: Preocupação com demanda persiste e café abre 6ª feira com desvalorização

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.