Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

12/07/2011

MPF investiga interesse do BNDES no Pão de Açúcar

O Ministério Público Federal instaurou, em Brasília, procedimento para apurar o envolvimento do BNDES na fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour.

A Procuradoria deseja saber se a participação do banco oficial na negociação está escorada no interesse público.

Quer saber também de onde virá o dinheiro que o BNDES cogita injetar no negócio. Coisa de até R$ 4,5 bilhões, segundo já admitido pelo governo.

Embora centrado inicialmente na fusão da empresa de Abílio Diniz com o grupo francês, o procedimento da Procuradoria tem objetivos mais amplos.

Pode resultar numa investigação de toda a carteira de investimentos e empréstimos do BNDES a empresas privadas.

Inaugurada há cinco dias, a apuração foi veiculada nesta segunda (11) na página eletrônica da Procuradoria da República no Distrito Federal.

Foram expedidos dois ofícios. Um para o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Outro para o secretário de Controle Interno da CGU, Valdir Agapito Teixeira.

Entre os questionamentos dirigidos a Continho estão os seguintes:

1. Qual é a modalidade de apoio financeiro requerida pelo Grupo Pão de Açúcar na pretendida fusão com o Carrefour?

2. O grupo atende aos requisitos mínimos para pleitar o financiamento?

3. Quais os critérios para a adoção de prioridades nos investimentos do BNDESPar?

4. De onde provêm e como serão captados os recursos a serem utilizados no negócio?

O governo sustenta que, caso o BNDES resolva participar da fusão, o dinheiro não será público. Lorota.

O BNDES não se limitaria a emprestar dinheiro. Entraria como sócio da nova empresa, adquirindo participação acionária.

No ofício enviado ao secretário de controle Valdir Teixeira, indaga-se:

A Controladoria-Geral da União já realizou auditoria no BNDESPar para esquadrinhar os financiamentos concedidos a empresas privadas?

As duas autoridades terão 15 dias para prover as respostas. O prazo começa a ser contado a partir do recebimento das correspondências.

Ao se mexer, a Procuradoria oferece uma razão adicional ao governo para recuar da intenção de envolver o BNDES numa batalha empresarial.

A propósito, o repórter Ancelmo Gois informa que Dilma Rousseff já determinou ao bancão que saia, de fininho, da transação.  

Sócio de Abílio Diniz no Pão de Açúcar, o grupo francês Cassino enxerga na fusão com o Carrefour uma espécie de golpe corporativo.

Por força de contrato, o Cassino deve assumir o comando do Pão Açúcar em 2012. Se vingar a fusão, o documento vira fumaça.

- Siga o blog no twitter.

Escrito por Josias de Souza às 23h10

Fonte: Blog do Josias de Souza - Uol - 11/7/2011
Voltar

Leia também

Programa ACS na TV: Eduardo Heron, Diretor Técnico do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil - CECAFÉ

CAFÉ: Principais pontos dos preços do café no mês de janeiro

CAFÉ: Café solúvel: exportação do Brasil cai em volume, mas tem receita recorde em 2022

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.