Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

10/06/2011

Fórum de Ciência Tecnologia e Inovação da Baixada Santista proposto pelo ministro Mercadante será coordenado pela ACS

Fórum de Ciência Tecnologia e Inovação da Baixada Santista proposto pelo ministro Mercadante será coordenado pela ACS

O  ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, propôs a realização do primeiro Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação da Baixada Santista, durante reunião organizada pela Câmara Setorial de Instituições de Ensino da Associação Comercial de Santos (ACS), na sexta-feira, 10 de junho de 2011.

Mercadante foi recebido pelo presidente da ACS, Michael Timm, e pelo grupo comandado pelo coordenador da Câmara Setorial, Edison Monteiro, diretor geral da Unip Santos. Também recepcionaram o ministro o 1.º vice-presidente da ACS, Vicente do Valle, e o diretor executivo da ACS, Marcio Calves.

A idéia da realização do fórum foi imediatamente aceita pelos integrantes do grupo, composto pelo secretário municipal de Desenvolvimento e Assuntos Estratégicos de Santos, Márcio Lara, reitores e representantes das principais instituições de ensino que compõem a Câmara Setorial: Silvia Teixeira Penteado, da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Nelson Teixeira, do Centro Universitário Lusíada (Unilus), Renata Viegas, da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Sérgio Tadeu, da Strong-FGV, Rogério Massaro, do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte), e Rubens Medina, da Universidade Católica de Santos (UniSantos). Também estiveram presentes o vereador Adilson dos Santos e outros articuladores.

A reunião teve como objetivo principal debater e deliberar com o ministro o apoio para o fortalecimento de ações integradas para o Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação, visando promover a política de fomento à inovação através de incentivos à Baixada Santista.

O secretário Lara convidou o ministro santista para fazer parte do Conselho de Administração do Parque Tecnológico de Santos, que atenderá toda a região (confira detalhes no link: http://www.santos.sp.gov.br/planejamento/planodir/apres/ftc_15_07_09.pdf). E também para apadrinhar a iniciativa, apoiando a obtenção de recursos com foco em pesquisas a serem realizadas pelas universidades envolvidas.

Na sequência, o grupo solicitou ao ministro orientação adequada sobre os canais a serem percorridos para viabilizar o projeto, incluindo a construção de uma sede própria.

Mercadante fez questão de ressaltar e parabenizar a iniciativa aglutinadora em função de um projeto coletivo que visa o desenvolvimento tecnológico e de inovação para toda a região. Ele destacou as novas demandas trazidas pela exploração da Bacia de Santos, além das necessidades de outros setores, como a indústria de alta tecnologia.

Mercadante chamou a atenção para a importância estratégica da região e os altos investimento que a Petrobras fará nos próximos quatro anos, de US$ 242 bilhões.

Segundo o ministro, R$ 1 bilhão e 280 milhões serão investidos em pesquisa. E lembrou que em 2010 foram investidos R$ 300 milhões nas universidades, especialmente na construção e aquisição de equipamentos para laboratórios.

Mercadante alertou sobre a grande diferença entre os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo no que diz respeito a petróleo e gás. E garantiu que a Petrobras continuará a investir em laboratórios. “Assim, Santos, que neste momento é observada por todo o País, deve concentrar os esforços na construção de um laboratório que atenda às demandas da estatal, atraindo para cá parte dos R$ 1 milhão e 800 mil de investimentos previstos”.

Alguns pontos preliminares foram lembrados pelo ministro. "Há a necessidade de uma área física concreta para expansão, que deve contar com energia, infraestrutura, banda larga, fibra ótica e acessibilidade. Todas essas condições devem ser reunidas".

O ministro foi informado pelos membros da Câmara sobre a inclusão da Incubadora de Empresas de Santos – voltada preferencialmente às áreas de Tecnologia da Informação (TI), software, automação, energia, mobilidade e telecomunicações – no processo de implantação do parque.

Mercadante destacou a importância das incubadoras e do investimento em jovens talentos, que têm capacidade de desenvolver projetos de inovação cada vez mais modernos.

Informou que o governo federal disponibilizará 75 mil bolsas de estudo no Exterior para os melhores alunos. Já em 2012, serão distribuídas 1.000 bolsas para a Alemanha e o critério de escolha será sempre a excelência.

Além da qualidade e do compromisso do aluno, ele defendeu o desenvolvimento de novas tecnologias para a educação, estimulando a inclusão social, a inovação e a segurança gerada por equipamentos como o tablet.

“Como consequência de todo esse panorama, podemos entender a expansão do mercado de componentes eletrônicos que hoje é bem desenvolvido na região de Campinas, no Interior paulista”, afirmou o ministro.

Softwares e games são outro mercado amplamente defendido pelo ministro, que receberá investimentos do governo: "É uma área portadora de futuro, além do pré-sal, assim como oceanografia, especialmente de alto-mar". O alerta vem como consequência do desastre ambiental do Golfo do México, em abril de 2010.

O secretário Lara mencionou o Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação e Comunicação (APL de TIC), cuja principal demanda é mão de obra especializada em programação.

A reitora da Unisanta, professora Silvia Penteado, ressaltou que a presença do ministro na região "não poderia se dar em outro local que não fosse a Associação Comercial de Santos, reunindo as universidades, o poder público e a iniciativa privada em benefício do desenvolvimento da região". Silvia acrescentou: "O Parque Tecnológico de Santos já nasce vencedor, na medida em que as universidades somaram forças e se dispuseram a ceder os seus espaços físicos e estruturas para a implantação do parque na região".

Fórum

Como resultado dos entendimentos, uma sugestão do ministro foi imediatamente aceita pelo grupo: a realização do primeiro Fórum de Ciência Tecnologia e Inovação da Baixada Santista. Em comum acordo com o presidente da ACS, Michael Timm, e com os reitores que compõem a Câmara Setorial, foram escolhidos para a coordenação do evento o assessor do ministro, Francisco Neto, e o diretor executivo da ACS, Marcio Calves.

Mercadante se comprometeu a trazer as principais instituições nacionais do setor para debater a nova vocação da Baixada Santista, deixando idéias e exemplos práticos daquilo que poderá ser realizado aqui.

A partir de uma observação de Renata Viegas, reitora da Unimes, sobre a determinação de uma data para estimular o início das iniciativas, de comum acordo, a data foi definida: 15 de setembro. E o ministro já agendou sua participação.

"Enquanto isso, vocês devem avaliar e definir que tipo de laboratório deve ser construído em Santos, qual a demanda da Petrobras. O ministério se compromete a financiar essa estrutura", antecipou Mercadante. "Comprometo-me também a trazer para o evento os presidentes do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Convidarei também um representante do  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Conto com o envolvimento das universidades, da Prefeitura e da Associação Comercial de Santos".

Antes de encerrar a reunião, o ministro ainda sugeriu ao grupo organizar-se para atrair indústrias japonesas para a região. "Após o terremoto e o tsunami, é fato consumado que as indústrias devem deixar o país. Por motivos óbvios como segurança e também pelos altos custos de seguros, por exemplo. Nossa intenção é atraí-las para o Brasil".

“Briguem para que os empreendimentos tenham sede por aqui”, estimulou Mercadante. “Montem um projeto de benefícios, façam visitas a cada uma delas, criando e apresentando condições favoráveis para a transferência. O estímulo não é só econômico. É também em qualidade, em excelência. Para se ter uma idéia, em uma fabricante de semicondutores, por dia, ficam à disposição na linha de montagem pelo menos 1.000 doutores em engenharia. São Paulo tem uma comunidade japonesa muito representativa. Será uma missão estratégica”.

O reitor da Unisantos, Rubens Medina, ao se pronunciar, destacou que ciência e tecnologia  devem garantir a inclusão digital, motivo que trouxe Mercadante à região. O ministro tinha participação programada no lançamento da Cidade Digital em São Vicente, que, segundo ele, "provocará um salto de qualidade no ensino e na educação", e no encerramento, em Cubatão, do MegaPolo, evento que tem como um dos principais temas a tecnologia.

Para o coordenador da Câmara Setorial de Ensino, Edison Monteiro, o encontro estabelece o início de um novo relacionamento com o ministério, que abrirá novas e importantes perspectivas para as universidades da região.

2011-06-10-mercadante-acs2a

2011-06-10-mercadante-acs3a

2011-06-10-mercadante-acs4a

2011-06-10-mercadante-acs5a

2011-06-10-mercadante-acs6a

2011-06-10-mercadante-acs7a

2011-06-10-mercadante-acs8a

Voltar

Leia também

Programa ACS na TV: Prof. Dr. Édison Monteiro, Diretor Regional da UNIP Santos

CAFÉ: Café/Cepea: Janeiro é marcado por alta de preços e reaquecimento do mercado doméstico

MUNDO: Economia global desacelera em 2024

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.