08/06/2011

Michael Timm, presidente da ACS, recebe prêmio do Rotary Club de Santos

Michael Timm, presidente da ACS, recebe prêmio do Rotary Club de Santos

O presidente da Associação Comercial de Santos (ACS), Michael Timm, recebeu o Prêmio Mérito Profissional 2010-2011 do Rotary Club de Santos, nesta quarta-feira, 8 de junho de 2011, durante almoço no Restaurante Le Coq D’Or, do Mendes Plaza Hotel, na Avenida Floriano Peixoto, 42, Piso R, no Gonzaga.

A homenagem foi prestada na gestão de Alberto Claro como presidente do Rotary Club de Santos.

Além de Timm, compareceram à homenagem o diretor Martin Aron, 2.º secretário da Associação Comercial de Santos, o diretor executivo Marcio Calves e o presidente do Conselho de Câmaras Setoriais da ACS, Eduardo Carvalhaes Júnior, que também já foi presidente do Rotary Club de Santos.

O Rotary Club de Santos também prestou homenagem a Timm com a publicação de anúncio no jornal A Tribuna, na edição desta quarta-feira, na página A-9.

O delegado seccional de Polícia de Santos, Rony da Silva Oliveira, deu palestra sobre os índices de criminalidade e atuação da Polícia Civil na região, durante a reunião do Rotary Club de Santos.

Discurso do presidente da Associação Comercial de Santos, Michal Timm:

Excelentíssimo Sr. Alberto Claro, presidente do Rotary Club de Santos.

Senhores integrantes da Diretoria e membros da mesa.

Senhoras, Senhores.

Estou muito contente em receber pela segunda vez uma homenagem do Rotary Club. Estou até um pouco surpreso, porque não sei se é comum uma mesma pessoa ser homenageada por clubes diferentes no mesmo ano.

Vou contar o que aconteceu. O meu filho, Marcelo, faz parte de um Interact Club e um dia me falou que eu ia receber uma homenagem do Rotary.

Passados alguns dias, se não estou enganado, Alberto Claro, Eduardo Carvalhaes, Ricardo Beschizza e Sergio Escuder me visitaram e informaram sobre a homenagem.

Eu pensei que fosse esta a homenagem que o meu filho tinha comentado comigo.

Fiquei confuso porque recebia ligações marcando a data e, para a minha surpresa, eram duas datas diferentes, até que caiu a ficha e percebi que eram duas homenagens distintas.

Gostaria também de me desculpar por ter tido que mudar a data da homenagem, mas por problemas profissionais não pude comparecer na data anteriormente agendada.

Mais uma vez gostaria de ressaltar que acredito estar recebendo esta homenagem por causa da minha participação na Associação Comercial de Santos como presidente.

Se não fosse a visibilidade deste importante cargo, não estaria aqui hoje recebendo esta honraria.

Não poderia deixar de aproveitar um fórum como este para pedir apoio da sociedade.

Nada melhor do que contar com o apoio do Rotary para importantes pleitos que a Associação, junto com toda a sociedade, deveria estar fazendo aos seus representantes no Executivo e Legislativo, como a reforma tributária, a reforma trabalhista, a reforma do Judiciário e a política, porque precisamos de um País mais justo.

Não sei se este é o fórum, mas tenho certeza de que o Rotary conta com centenas de milhares, se não milhões de associados, que poderiam unir as suas forças para exigir mudanças em nosso País, para que todos pudessem competir em igualdade de condições, tocando a sua empresa, estudando em uma universidade, ou em outra atividade.

A nossa Cidade está vivendo um momento único, seja com a vinda da Petrobras por causa da descoberta do pré-sal, o porto que não para de crescer e precisa crescer muito mais, a presença do parque universitário e como consequência destes itens e finalmente a existência de financiamento de longo prazo, um boom imobiliário nunca visto em nossa região e no Brasil.

Para que tudo isto que está acontecendo não torne a nossa Cidade inviável, precisamos trabalhar juntos com o poder público, e isto a Associação Comercial de Santos tem feito com o diálogo permanente com os nossos representantes na Prefeitura e na Câmara, além dos representantes no governo estadual e federal.

Com o governo local participamos de um grande número de fóruns, dos quais destaco:

– Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU)

– Conselho de Segurança do Município (Consem) de Santos

– Conselho de Desenvolvimento Econômico de Santos (CDES)

– Comissão Municipal de Acompanhamento e Avaliação do Programa Prefeito Amigo da Criança

só para citar alguns.

Claro que temos uma importante participação no Conselho de Autoridade Portuária (CAP), onde são discutidos os assuntos referentes ao porto.

Não quero ser repetitivo, mas como estou sendo homenageado como profissional, não poderia deixar de mencionar as principais dificuldades que um profissional enfrenta neste País.

Para mim, nós, empresários, somos heróis, trabalhando com uma estrutura tributária complexa e que sofre mudanças todos os dias.

Se tivéssemos uma simplificação na área tributária, poderíamos nos concentrar em fazer negócios e não perder energia tentando compreender e cumprir a legislação tributária.

Com certeza a economia estaria crescendo alguns pontos percentuais a mais se tivéssemos uma simplificação tributária.

Não vou me atrever a falar de café aqui.

Vocês têm como companheiro um dos maiores conhecedores de café do Brasil, o Eduardo Carvalhaes, setor em que passei a maior parte da minha profissional e onde espero encerrá-la.

Comecei trabalhando na área bancária, o Banco Francês e Brasileiro, que mais tarde foi adquirido pelo Banco Itaú, e na General Electric do Brasil, que para mim foi uma grande escola.

Desde que comecei a trabalhar no setor cafeeiro, estive envolvido com as entidades que defendiam os interesses da classe.

Comecei nos anos 80 na Associação Comercial de Santos e na época na Febec, que representava os interesses dos exportadores de café nacionalmente.

Eu me sentia obrigado a fazer parte, porque não podia ficar só em casa, como eu preferiria, e cobrar os colegas.

Acho que para poder cobrar temos que fazer parte, e se estamos defendendo o que acreditamos é ainda melhor.

Passei a minha vida profissional lutando por um mercado livre, onde todos os atores pudessem competir em igualdade de condições.

Esta luta começou nos anos 80, quando eu defendia o fim do Instituto Brasileiro do Café (IBC), e agora lutando para eliminar vantagens competitivas de alguns elos da cadeia com as leis da não-cumulatividade do PIS e da Cofins, além de outras vantagens.

É difícil lutar por ideais em um país onde a ética não é predominante.

Nem nas leis vemos claramente a presença do conceito ético, conforme resposta do filósofo Denis Rosenfeld em uma entrevista, que disse:

“A legislação deve se embasar no conceito ético, no que é universalmente aceito como bem ou mal”.

Infelizmente, não vemos isto acontecendo.

Antes de encerrar o meu agradecimento, quero mais uma vez dizer que devo esta homenagem à Associação Comercial de Santos, não podendo deixar de agradecer aos diretores aqui presentes e aos que não puderam comparecer, o meu muito obrigado pelo apoio nestes dois últimos anos, esperando que ele continue nos próximos três anos do mandato.

Agradeço por fim à minha família, que hoje não pôde estar aqui para me acompanhar nesta homenagem, e a vocês, do Rotary Club de Santos, que me escolheram para receber esta homenagem.

Muito obrigado.

Confira o anúncio publicado pelo Rotary Club de Santos no jornal A Tribuna

Confira notícia da homenagem prestada pelo Rotary Porto a Michael Timm

2011-6-8-timm-rotary2

2011-6-8-timm-rotary3

2011-6-8-timm-rotary4

2011-6-8-timm-rotary5

2011-6-8-timm-rotary6

 2011-6-8-timm-rotary9

2011-6-8-timm-rotary10

2011-6-8-timm-rotary11

2011-6-8-timm-rotary12

2011-6-8-timm-rotary13

2011-6-8-timm-rotary14

Voltar

Leia também

Deputada leva à ANS pleito da Associação Comercial de Santos, Diário do Litoral, 21/10/2021

Associação Comercial de Santos promove agenda de sustentabilidade no próximo dia 28

CAFÉ: Exportação dos Cafés do Brasil atinge 29,7 milhões de sacas no acumulado de nove meses

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.