Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

23/08/2012

Imposto bebe metade da sua cerveja / Expresso Popular/ p. 10 / 23/8/2012

Publicado em:
Expresso Popular / p. 10 / 23/8/2012

#Aquela latinha que você paga R$1,55 poderia custar R$0,70 sem os tributos

Você faz ideia de quanto do seu salário vai para o pagamento de impostos? Ontem, na Praça Mauá, em Santos, o letreiro do caminhão do “Impostômetro” indicava o valor de R$1bilhão! Isso quer dizer que a Prefeitura vem arrecadando esse dinheiro desde o começo do ano, diretamente do bolso de cada santista. E, se esse número já espanta,durma com essa:ele cresce minuto a minuto.

Todo esse montante vem embutido no valor dos produtos que cada cidadão vai comprar no supermercado além, é claro, dos impostos sobre serviços, IPTU etc e tal.

O problema é que a galera não faz ideia de quanto representa o preço real da mercadoria - contando produção, distribuição e outros gastos da indústria - e quanto é abocanhado pelas estâncias municipais, estaduais e federais.

Os itens que mais carregam imposto são as bebidas: a cachaça é 81% de puro imposto; já uma latinha de cerveja que você paga no supermercado vai mais da metade para o Governo(55%).

A golada do refrigerante também é grande: se você paga R$ 1,19 por uma latinha, em média, saiba que R$ 0,59 se convertem em imposto.

Pra onde vai?

O problema é que nem sempre essa grana dos impostos é destinada ao lugar certo, como explica o coordenador da Associação Comercial de Santos (ACSJovem), PedroMesquita. “A Prefeitura destina somente 25% da arrecadação para a Educação, que é a verba mínima. Esses impostos não voltam para a população”.

Segundo o coordenador, as entidades têm lutado para a execução de uma reforma tributária; aliás, nessa época de eleição,vale ficar atento para ver qual político toca nesse assunto!

Fiquepor dentro

Há um projeto de lei(1472/07) em tramitação na Câmara dos Deputados que pretende tornar explícita a carga tributária embutida nos preços dos produtos direto na etiqueta.

Nos Estados Unidos e no Canadá, por exemplo, os produtos são expostos como preço real e,na hora de pagar,é acrescentado o valor do imposto.

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário(IBPT),o brasileiro paga atualmente 63 impostos.

No topo do ranking estão Imposto de Renda,que é federal: IRPF– Imposto de Renda Pessoa Física. Incide sobre a renda do cidadão. IRPJ– Imposto de Renda Pessoa Jurídica. Incide sobre o lucro das empresas.

Na sequência aparecem os estaduais: ICMS– Imposto sobre Circulação de Mercadorias. Incide também sobre o transporte interestadual e intermunicipal e telefonia. PIS/Pasep–Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público.Cobrado das empresas. Cofins–Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social.Cobrado das empresas. IPI– Imposto sobre Produto Industrializado.Cobrado das indústrias.

E o municipal: ISS– Imposto Sobre Serviços. Cobrado das empresas.

Confira a reprodução da notícia

Voltar

Leia também

CAFÉ: De olho nos estoques certificados e na chuva no Brasil, arábica abre estendendo ganhos

ELEIÇÕES: Urnas eletrônicas passam por auditoria

COMÉRCIO EXTERIOR: Correção aduaneira sobre importação por pessoa física é avanço, dizem especialistas

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.