Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

09/03/2012

Ilha Bela entra em guerra contra Porto de São Sebastião

Pedro Venceslau (pvenceslau@brasileconomico.com.br)

O fluxo maior de navios tornaria inviáveis os tradicionais eventos de vela do local
Preocupação é que navios com até 9 mil contêiners formem um paredão que destruiria totalmente a vista do canal

Moradores e donos de imóveis em Ilha Bela, um pequeno paraíso no litoral norte paulista, declararam guerra contra um dos mais ousados projetos do governador Geraldo Alckmin depois do Rodoanel: a ampliação do Porto de São Sebastião, que só estará totalmente concluída daqui a 30 anos.

Do norte ao sul da ilha, cartazes e panfletos estão por toda parte e no último sábado houve até uma passeata no centro histórico.

Liderado pelo movimento "Ilha Bela sustentável", o movimento teme que, com o novo porto, navios com até 9 mil contêiners formem um paredão que destruiria totalmente a vista do canal.

Além disso, o fluxo maior de navios tornaria inviáveis os tradicionais eventos de vela do local.

À coluna, o diretor da Companhia de Docas de São Sebastiçao, Casemiro Tércio Carvalho, contou que uma consultoria está em vias de ser contratada para medir com detalhes os impactos da obra sobre o turismo.

"Não se trata de uma luta do bem contra o mal, do capitalismo contra o socialismo", diz Casemiro.

Segundo o diretor da Cia. Docas, o turismo e a vela não serão afetados de nenhuma maneira.

"O salário médio do turismo vai aumentar e o emprego vai durar o ano inteiro, não apenas na alta temporada. Durante os campeonatos de vela, faremos um regime especial de operação".

Fonte: Brasil Econômico - 9/3/2012

Voltar

Leia também

Câmara de Tecnologia & Inovação: Novo nome

Nova coordenação do Núcleo Jovem toma posse e anuncia projetos para desenvolvimento da ACS

CAFÉ: Pressão no financeiro: Café acompanha dia de baixas e recua mais de 400 pontos em Nova York

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.