Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

25/03/2011

Financiando exportações

Saumíneo da Silva Nascimento - Presidente do Banco de Sergipe

Para conhecer a dinâmica do comércio internacional do Brasil é necessário analisar a funcionalidade do financiamento às exportações brasileiras, avaliando-se o papel dos programas de financiamento no incremento das exportações do Brasil, o que na minha visão aponta uma efetividade desses mecanismos na alavancagem dos resultados da balança comercial.

No Brasil existem diversos mecanismos de apoio financeiro aos exportadores e estes possuem características idênticas ao o que é disponibilizado nas principais economias do mundo.

O financiamento ao comércio exterior brasileiro é suprido por bancos públicos, bancos privados, bancos nacionais e bancos estrangeiros em modalidades que visam basicamente o suprimento de necessidade de capital de giro.

Nesta sistemática de financiamento que envolve todos os bancos que operacionalizam com câmbio, algumas limitações impedem uma maior participação do crédito na promoção das exportações brasileiras.

O Banco do Brasil é o líder em operações de câmbio e comércio exterior. A diversidade de linhas e programas abrange os mesmos tipos de produtos dos demais bancos brasileiros. A exceção fica com o Proex, pois o Banco do Brasil atua com exclusividade como o agente financeiro da União responsável pela gestão do programa.

Mas como o programa é negociado dentro do orçamento da União, sempre ocorrerá a incerteza sobre a disponibilidade anual de recursos, o que pode dificultar um planejamento adequado de aplicação, sem contar que a distribuição geográfica dos recursos do Proex é concentrada no Sul/Sudeste.

O BNDES é o outro banco público que também possui diversas linhas e programas de financiamento às exportações, destacando-se o Exim, destinado ao apoio à exportação de bens e serviços nacionais tanto na fase de pré-embarque como na fase pós-embarque.

O Adiantamento sobre Contratos de Câmbio - ACC é uma antecipação de recursos em moeda nacional ao exportador por conta de uma exportação a ser realizada no futuro. Já o Adiantamento sobre Cambiais Entregues - ACE é uma antecipação de recursos em moeda nacional ao exportador, após o embarque da mercadoria para o exterior.

Estas são as duas modalidades de financiamento às exportações mais utilizadas pelos exportadores e a mais operacionalizada pelos bancos no segmento de crédito para o comércio exterior.

Mas também ocorrem as incertezas nos bancos privados que oferecem crédito às exportações a partir de captações nos bancos internacionais, pois dependem dos cenários mundiais e dos riscos dos países.

Além da assimetria de informações entre os diferentes tipos de exportadores brasileiros, convivemos também com as incertezas de recursos para o financiamento das exportações brasileiras. Mas julgo que a política atual de financiamento ao comércio exterior do Brasil já apresentou e vem acumulando avanços que se refletiram no crescimento da corrente de comércio do nosso país.

----------------------------------------------------------

Saumíneo da Silva Nascimento é presidente do Banco de Sergipe

Fonte: Brasil Econômico - 25/3/2011
Voltar

Leia também

Previsão Oceanográfica

CAFÉ: De olho na demanda e na safra 23, café volta a cair em Nova York

SAÚDE: Brasil registra 11 novas mortes por covid-19 em 24 h, segundo ministério

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.