18/07/2011

Fazenda Cambuhy intensifica investimentos na produção de café

Fazenda Cambuhy intensifica investimentos na produção de café

A Fazenda Cambuhy, em Matão, no Interior do Estado de São Paulo, ampliará a área de cultivo para 1.000 hectares e deverá ampliar a produção para 40 mil sacas de café. A Cambuhy comercializa o produto com a marca Café dos Ingleses.

A informação, da Cambuhy, foi transmitida durante a visita dos alunos japoneses, espanhóis, portugueses e brasileiros do 48.º Curso Internacional de Classificação e Degustação de Café da Associação Comercial de Santos (ACS), realizada no último final de semana.

O curso começou no dia 4 e tem previsão de encerramento em 28 de julho, com a participação de 10 japoneses, 2 espanhóis, 3 portugueses, 1 brasileiro-canadense e 5 brasileiros, que têm aulas de segunda a sexta-feira, das 8 às 10 horas, incluindo sessão diária de degustação.

A visita foi coordenada pelo diretor Ronaldo Taboada, 1.º secretário da ACS. O professor Nilton Ribeiro, instrutor do curso, também integrou a comitiva.

Os alunos assistiram a uma apresentação da Cambuhy, conheceram pés de cafés, visitaram o lavador, o terreiro, o secador, o armazém e as tulhas de café, encerrando com uma sessão de degustação.

Os visitantes provaram três tipos de café - um de altitude de cerca de 800 metros, do Cerrado de Minas Gerais, um passa e um da Fazenda Cambuhy, onde a altitude é de cerca de 580 metros. O teste ocorreu sem que os alunos soubessem qual café foi o degustado. Resultado, após cada um revelar o preferido: o da Cambuhy foi o que mais agradou os alunos.

Visita

Os participantes do curso da Associação Comercial de Santos chegaram à Fazenda Cambuhy no início da tarde de sexta-feira, 15 de julho de 2011. Eles saíram da sede da ACS, na Rua XV de Novembro, 137, no Centro Histórico.

Após o almoço, assistiram a uma apresentação da Cambuhy, feita pelo gerente comercial, Virgílio Pimenta de Pádua Neto.

Em seguida, os alunos foram para a lavoura, onde viram os pés de cafés. Depois, conheceram o lavador, o terreiro e o secador de café.

O engenheiro agrônomo Gustavo Zanetti Pollo, da Cambuhy, acompanhou os alunos na lavoura, transmitindo informações sobre o plantio de café e esclarecendo dúvidas.

Na manhã de sábado, 16 de julho, o programa começou com visita ao armazém e às tulhas de café. Na sequência, fizeram o teste de degustação.

O diretor Ronaldo Taboada entregou a Virgílio Pimenta de Pádua um bonde, um dos símbolos de Santos, com os dizeres: "Homenagem da 48.ª turma do Curso de Classificação e Degustação de Café, da Associação Comercial de Santos, à Fazenda Cambuhy pela receptividade e atenção dispensadas. Santos, 16 de julho de 2011."

Após o almoço, a comitiva retornou a Santos.

Tecnologias sustentáveis

Para alcançar os objetivos definidos no programa de atividades, a Cambuhy utiliza as mais recentes tecnologias de produção sustentável, como agricultura de precisão, irrigação computadorizada, redução de uso de energia e água, racionalização de aplicação de insumos, manejo dos recursos naturais (fauna e flora), rastreabilidade certificada, controle e registro de processos e controle de qualidade.

Além disso, a Cambuhy tem as certificações UTZ e Rainforest Alliance.

A UTZ é uma certificação internacional para a produção e fornecimento de café responsável, que assegura a qualidade ambiental e social em toda a cadeia produtiva.

A Rainforest Alliance, fundada em 1987, com 17 mil membros em todo o mundo, tem o compromisso de preservar os ecossistemas e a biodiversidade por intermédio de programas ambientais em empresas, comunidades e proprietários de terras.

Cambuhy

A fazenda, em área de 14.083 hectares, fica no Município de Matão, no Interior do Estado de São Paulo, a 380 quilômetros de Santos e a 300 quilômetros de São Paulo.

A Cambuhy tem dois objetivos permanentes: diversificar a atividade produtiva, de modo a equilibrar culturas pioneiras tradicionais e produtos de exportação destinados ao mercado externo; e basear o empreendimento em capital intensivo, aplicação e desenvolvimento de novas tecnologias, em constante busca de ganhos de produtividade.

O planejamento estratégico da Cambuhy definiu um mix de produtos, fixando metas de plantio, produtividade, custo e receita. Por isso trabalha com três cultivos - laranja, café e seringueira.

A área de café ocupa 641 hectares de terras.

A principal atividade é a lavoura de laranja, em espaço de 6.011 hectares, com produção de 4,5 milhões de caixas de laranja na safra.

A plantação de seringueira está distribuída em 529 hectares, com 380 árvores, com produção anual de 1.400 toneladas de coágulo de borracha.

História

Em 1924 a companhia inglesa Brasil Warrant comprou as Fazendas do Cambuhy, propriedade que se estendia por 57 mil hectares, área quatro vezes maior que a atual. Tornou-se a maior produção de café em todo o mundo, administrada por profissionais procedentes de Londres.

A Brasil Warrant também tinha armazéns em Santos, por onde o café era exportado.

Em 1952, Walther Moreia Salles, com capital próprio e financimento de terceiros, começou a comprar os títulos da Brasil Warrant. Em 1958, sempre mediante compra em bolsa, Moreira Salles assumiu o controle do capital e nacionalizou a Brasil Warrant, mantendo o nome da empresa.

A partir de então, o patrimônio da Brasil Warrant serviu, em parte considerável, para a expansão de outra atividade, o Banco Moreira Salles, que depois passou a se chamar Unibanco. Com isso, foram vendidos os armazéns de Santos e largas extensões da fazenda. O resultado são os atuais 14.093 hectares da Cambuhy.

Com a nacionalização, a Cambuhy passou por quatro fases.

A primeira foi a fazenda de café, uma continuação do projeto inglês.

Na década de 70, quando já eram claros os sinais da decadência do cultivo, a Cambuhy sofreu uma mudança completa: o café foi erradicado e substituído por pastos.

A terceira etapa começou em 1978, quando parte dos pastos passou a ser substituída por pomares de laranja - o primeiro sinal da diversificação.

Em 1982, a administração lançou as bases de um programa de trabalho, delineado em exatamente quatro anos de estudos, viagens e pesquisas, até 1986. Dos estudos, passou-se ao primeiro planejamento estratégico, que norteia as atividades, em busca de diversificação e maior produtividade.

Dos 14.083 hectares da área da Cambuhy, 3.456 correspondem a reservas florestais, incluindo mata nativa de 1.900 hectares, preservada com base em políticas ambientais.

Cafés

Os cafés da Cambuhy são cultivados em 641 hectares. Nesta terra fértil, encontram-se pés de café de variedades como Munco Novo, Catuaí Amarelo, Catuaí Vermelho, acaiá e icatu. O armazém, localizado na fazenda, tem capacidade para 21 mil sacas de café.

A região produtora da Cambuhy é conhecida internacionalmente desde o Século 20, com cafés naturais descascados de altíssima qualidade, com características únicas e bastante apreciados por compradores de todo o mundo, colhidos normalmente de maio a julho.

Para ampliar a produtividade na colheita, a fazenda conta com colheitadeiras mecânicas, equipamentos e oficinas. Um moderno sistema de irrigação por gotejamento fornece aos pés de café o volume ideal de água.

A secagem dos cafés naturais e cereja descascado é feita em quatro terreiros que, juntos, somam mais de 25 mil metros quadrados.

O diferencial da Cambuhy está em cuidados no processo de operações como colheita, lavador, terreiro, secagem, tulhas e armazenagem, sempre em busca de qualidade superior da bebida.

A água utilizada nos lavadores é reciclada, para melhor aproveitamento e redução de consumo, e posteriormente aproveitada para fertirrigação.

Mais informações sobre a fazenda podem ser conferidas no site www.cambuhy.com.br

2011-07-16-cambuhy22

2011-07-16-cambuhy33

2011-07-16-cambuhy44

2011-07-16-cambuhy55

2011-07-16-cambuhy66

2011-07-16-cambuhy77

2011-07-16-cambuhy88

2011-07-16-cambuhy99

Voltar

Leia também

Deputada leva à ANS pleito da Associação Comercial de Santos, Diário do Litoral, 21/10/2021

Associação Comercial de Santos promove agenda de sustentabilidade no próximo dia 28

CAFÉ: Exportação dos Cafés do Brasil atinge 29,7 milhões de sacas no acumulado de nove meses

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.