Clima e Previsão do Tempo
Santos, SP/

29/03/2011

Eleitor cadastrará impressão digital

A expectativa do TSE é que, até 2018, todos os eleitores do Pais estejam recadastrados biometricamente.

Agência Estado - 28/3/2011 - 21h56

Flávio Neves/AE

Máquina vai colher impressões digitais dos eleitores, até 2018, evitando fraudes, encurtando filas e apressando a apuração das eleições, segundo avaliação do TSE.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, deu início ontem, em Curitiba, a uma nova etapa de recadastramento de eleitores para as eleições de 2012. Nesta etapa, cerca de seis milhões de pessoas deverão comparecer às sedes dos tribunais eleitorais para o cadastramento das impressões digitais. O objetivo é que até 2018 todos os estimados 150 milhões de eleitores estejam cadastrados biometricamente, o que, segundo Lewandowski, evitará fraudes, encurtará filas e apressará a apuração. Nas eleições de 2010, pouco mais de 1,1 milhão de eleitores foram identificados por impressão digital em todo o Brasil.

Além dos 1,3 milhão de eleitores curitibanos, os eleitores dos municípios paulistas de Jundiaí e Itupeva; dos pernambucanos Aliança, Caruaru, Catende, Macaparana, Sanharó e Vicência; de Goiânia, e de todos os municípios de Alagoas e Sergipe também participam do recadastramento nesta fase. Os eleitores da capital de São Paulo devem esperar algum tempo para a coleta das impressões digitais. "É um osso duro de roer, tem que estudar bem", disse Lewandowski. A capital paulista tem mais de 8,4 milhões de eleitores.

De acordo com o presidente do TSE, o recadastramento porá os eleitores como prioritários para o recebimento da identificação única, chamada de Registro de Identificação Civil (RIC), que substituirá vários outros documentos. Em Curitiba, foi montada uma grande estrutura na Central de Atendimento ao Eleitor, para que seja possível o recadastramento de até 5 mil eleitores por dia. A fim de evitar filas, os eleitores foram orientados a seguir uma distribuição baseada no mês de nascimento.

Na semana passada, os ministros do TSE decidiram que a Lei da Ficha Limpa somente será aplicada nas eleições de 2012. Ontem, quando falava de avanços tecnológicos no sistema eleitoral, ele foi questionado sobre o assunto e reforçou seu ponto de vista de que a lei deveria ter sido aplicada já nas últimas eleições. Segundo ele, a tecnologia contribui para diminuir as fraudes e apressar a apuração. Mas reforçou que a Justiça tem procurado "afastar os maus políticos de ocuparem cargos públicos".

Mesmo no caso da Lei da Ficha Limpa, o presidente do TSE disse que, no tempo em que vigorou, sustentada pela Justiça Eleitoral, surtiu efeitos. "Primeiramente porque a população discutiu bastante os antecedentes dos candidatos. Além disso, os próprios partidos fizeram uma triagem e eliminaram os candidatos que não tinham bons antecedentes", disse. Ele ressaltou que houve até candidatos que previam ser barrados e, por isso, desistiram da eleição.

Fonte: Diário do Comércio / Agência Estado - 28/3/2011
Voltar

Leia também

Palestra gratuita em Santos orienta empresas sobre a Lei de Proteção de Dados, JORNAL DA ORLA, 29/11/2022

Previsão Oceanográfica

CAFÉ: De olho na demanda e na safra 23, café volta a cair em Nova York

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.