12/05/2011

É mais fácil inovar do que definir a inovação

Luciano Martins Costa - Jornalista e escritor, consultor em estratégia e sustentabilidade

O que é inovação? Alguns especialistas, como o professor e pesquisador da Fundação Getulio Vargas Moyses Simantob, acham que inovação é a invenção que passa pelo teste de mercado.

Outros acham simplesmente que, quando a pergunta é feita, não estamos diante de uma inovação, porque as inovações se impõem, independentemente de como sejam qualificadas.

De qualquer maneira, é grande a convergência de opiniões para o ponto em que uma iniciativa só deve ser considerada inovadora quando contribui para a sustentabilidade.

Pode-se, por exemplo, ser inovador em um programa de desmatamento, como os predadores que inventaram de usar correntes de ferro presas a tratores para tornar mais eficiente a derrubada de árvores na Amazônia? Como se pode observar, talvez seja mais fácil praticar do que definir a inovação.

De qualquer maneira, essa é uma expressão que veio para ficar, principalmente no que se refere à gestão sustentável. Há setores que correm grandes riscos se for desacelerado ou interrompido o processo de inovação.

Em busca da metáfora perfeita para definir o que é inovador, alguns acham o ponto de partida num conceito do matemático John Nash Jr., criador da Teoria dos Jogos e Nobel de Economia de 1994.

A ideia de Nash segundo a qual uma equação com muitas variáveis produz muitas respostas para um mesmo problema pode ser apontada como pressuposto essencial para o pensamento inovador, uma vez que esse conceito quebra o paradigma a que estamos habituados, de uma solução ideal para um problema específico.

Outras teses apontam para o uso da natureza como matriz de inovação. A pesquisadora Janine Benyus, criadora da Biomimética, misto de tecnologia e ciência aplicada que emula as soluções produzidas pelos seres vivos para enfrentar desafios do meio ambiente, é a musa dessa corrente de pensamento.

Há uma interconexão clara entre Nash e Benyus, no sentido em que também na biologia sobram exemplos de equações com múltiplas variáveis a oferecer alternativas para soluções inovadoras.

Tais matrizes de pensamento inovador podem ter seu ninho em referências ainda mais antigas, como, por exemplo, no diálogo de Platão ao qual se deu o título de Kubernetes, ou a arte de pilotar barcos e homens.

Além da conexão essencial entre matemática e observação da natureza, presente no pensamento platônico, estão nessas reflexões as origens da Cibernética, mãe da inovação no mundo contemporâneo.

O consolidador dessa ciência e dos processos de automação, Norbert Wiener, se inspirou em Platão para elaborar sua teoria sobre Controle e Comunicação nos Animais e nas Máquinas.

De Platão a Wiener, de Wiener a Nash e de Nash a Benyus, talvez a essência da inovação seja a constatação do alto valor da diversidade (de elementos em uma equação, ou de alternativas em qualquer escolha).

Em todas essas fontes de inspiração brota o princípio segundo o qual há variáveis que podem ser controladas - e elas aumentam segundo avança o conhecimento científico - e variáveis que seguirão sendo intangíveis. Esse exercício de humildade também faz parte da receita da inovação.

----------------------------------------------------------

Luciano Martins Costa é jornalista e escritor, consultor em estratégia e sustentabilidade

Fonte: Brasil Econômico - 12/5/2011
Voltar

Leia também

CAFÉ: Exportação dos Cafés do Brasil atinge 29,7 milhões de sacas no acumulado de nove meses

ECONOMIA: Selic deverá atingir 8,75% para controlar a inflação

PETRÓLEO E GÁS: Produção de petróleo e gás no pré-sal é recorde em setembro

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.